Vídeos e letras de música portuguesa

Vídeos e letras

Terça-feira, 24 de Março de 2009
Título: Sozinha
Intérprete: Ágata
Álbum: Sozinha
Ano: 2000
 
 
Eu estou quase a conseguir
Que a dependência desse amor
Seja só recordação
De má memória já se vê

Eu estou quase a aprender
A viver do modo que estou
Mais sozinha do que nunca
Mas feliz por uma vez

Eu estou prestes a tirar
A tua sombra do meu ser
E assim duma vez por todas
A saber gostar de mim

Não resolvas aparecer
Pois desta vez vou-te dizer
vou dizer na tua cara
O que nunca consegui

Prefiro estar
Sozinha
Que ter-te aqui como tu eras
Sozinha
Sem ilusões falsas quimeras
Sozinha
Que assim ao menos não me iludo
Nem naufrago nem me afundo
Nesse teu mar de traições

Sozinha
Como afinal eu sempre estive
Sozinha
Já vi que ate se sobrevive
Sozinha
Pois sempre sei com quem contar
E nem preciso de chorar
E de  saber amar por dois
Prefiro estar
Sozinha

...

Eu estou quase a conseguir
Adormecer sem estares aqui
Aquecer a minha cama
Mesmo sem o teu calor

Estou a aprender a sorrir
E a sonhar depois de ti
Desses sonhos duma vida
Que por ti quase acabou

Estou prestes a vencer
O meu receio de ficar só
E recomeçar do zero
Não me assusta como outrora

É melhor que tu não voltes
Porque desta vez eu vou
Encarar-te frente a frente
E dizer-te vai-te embora

Prefiro estar
Sozinha
Que ter-te aqui como tu eras
Sozinha
Sem ilusões falsas quimeras
Sozinha
Que assim ao menos não me iludo
Nem naufrago nem me afundo
Nesse teu mar de traições

Sozinha
Como afinal eu sempre estive
Sozinha
Já vi que ate se sobrevive
Sozinha
Pois sempre sei com quem contar
E nem preciso de chorar
E de  saber amar por dois
Prefiro estar
Sozinha

...

Prefiro estar
Sozinha
Que ter-te aqui como tu eras
Sozinha
Sem ilusões falsas quimeras
Sozinha
Que assim ao menos não me iludo
Nem naufrago nem me afundo
Nesse teu mar de traições

Sozinha
Como afinal eu sempre estive
Sozinha
Já vi que ate se sobrevive
Sozinha
Pois sempre sei com quem contar
E nem preciso de chorar
E de  saber amar por dois

Sozinha
Que ter-te aqui como tu eras
Sozinha
Sem ilusões falsas quimeras
Sozinha
Que assim ao menos não me iludo
Nem naufrago nem me afundo
Nesse teu mar de traições

Sozinha
Como afinal eu sempre estive
Sozinha
Já vi que ate se sobrevive
Sozinha
Pois sempre sei com quem contar
E nem preciso de chorar
E de  saber amar por dois

Prefiro estar
Sozinha!
 

Publicado por Daxe Renal às 14:37