Vídeos e letras de música portuguesa

Vídeos e letras

Quinta-feira, 26 de Março de 2009
Título: Topo de gama
Intérprete: José Cid
Álbum: Pop rock & vice versa
Ano: 2007
 
 
Tenho um telemóvel
Topo de gama
Mas ninguém me liga
Mas ninguém me chama

Tenho um automóvel
Cor azul índigo
Ninguém quer boleia
Ninguém vem comigo

Tenho um apartamento virado para o mar
Ninguém bate à porta
Ninguém vem jantar

Será que sou feio
Será que sou chato
Será que vou dar
Em bicho do mato

Será que sou giro
Mas giro ao contrário
Será que estou preso
Dentro de um armário
(Não estás, não senhor)

Apenas agora
Ficaste de fora das contas do amor
Apenas agora
Ficaste de fora das contas do amor
(Não estás, não senhor)
Apenas agora
Ficaste de fora das contas do amor
Ficaste de fora das contas do amor

Tenho a beleza
De um manequim
A medida certa
Ninguém dá por mim

Tenho um bom emprego
Muito produtivo
Vale tirar olhos
É tão competitivo

Tenho um consultório
Com um bom divã
Onde limpo a alma
E conto à mamã

Será que sou feio
Será que sou chato
Será que vou dar
Em bicho do mato

Será que sou giro
Mas giro ao contrário
Será que estou preso
Dentro de um armário
(Não estás, não senhor)

Apenas agora
Ficaste de fora das contas do amor
Apenas agora
Ficaste de fora das contas do amor
(Não estás, não senhor)
Apenas agora
Ficaste de fora das contas do amor
Ficaste de fora das contas do amor

...

Tenho um telemóvel
Topo de gama
Mas ninguém me liga
Mas ninguém me chama

Tenho um automóvel
Cor azul índigo
Ninguém quer boleia
Ninguém vem comigo

Tenho um apartamento virado para o mar
Ninguém bate à porta
Ninguém vem jantar

Será que sou feio
Ou giro ao contrário
Será que estou preso
Dentro de um armário
(Não estás, não senhor)

Apenas agora
Ficaste de fora das contas do amor
Apenas agora
Ficaste de fora das contas do amor
Ficaste de fora das contas do amor

...

Apenas agora
Ficaste de fora das contas do amor

(Não estás, não senhor)
Ficaste de fora das contas do amor
 

Excelente versão de José Cid de um tema original dos Clã que figura no álbum "Rosa carne" de 2004.

Publicado por Daxe Renal às 19:49